DAKAR: Loeb / Elena teve de abandonar

0
14

NOVA VITÓRIA PARA A PEUGEOT NUMA ETAPA EM QUE A DUPLA LOEB/ELENA TEVE DE ABANDONAR

Foi um dia de diferentes sortes para o Team PEUGEOT Total no Dakar: no final da Etapa mais longa do rali, a armada ocupa o 1º e o 2º lugares à Geral, depois de uma terceira vitória consecutiva numa Etapa 5 extremamente punitiva. Contudo, os vencedores de nove Campeonatos do Mundo de Ralis (WRC), Sébastien Loeb/Daniel Elena, foram forçados a abandonar por razões médicas, depois de um embate numa duna que causou algumas lesões ao navegador.

  • Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret dilataram o seu avanço no comando da prova depois de levarem de vencida a sua primeira Etapa do ano. A recompensa para a sua soberba performance traduz-se agora numa vantagem de 31 minutos, numa altura em que o rali deixa o Peru, quando a Etapa 6 de quinta-feira (11 de janeiro) cruzar a fronteira para Bolívia.
  • Já Sébastien Loeb e Daniel Elena viram-se forçados a abandonar o seu 2º lugar e este Dakar 2018. Ao km 5 desta Etapa, na manhã de quarta-feira, a dupla caiu num enorme lago de areia depois de tentarem evitar o embate num concorrente atolado numa duna. Na sequência deste impacto, Elena sentiu dores agudas no externo e no cóccix. Depois de receber assistência de um camião, o PEUGEOT 3008DKR Maxi pôde continuar em prova e terminar a Etapa, mas Elena não conseguia sentar-se na posição correta, pelo que não houve outra opção senão abandonar por razões médicas, o que se concretizou no final da primeira parte da especial. A dupla dirigiu-se para o bivouac em Arequipa através do trajeto de assistência, ali sendo o navegador prontamente assistido pela equipa médica.
  • Carlos Sainz e Lucas Cruz tiveram uma boa jornada pelas dunas e mantiveram um bom ritmo sem correr quaisquer riscos. Registando o 4º melhor tempo na Etapa, os espanhóis ascenderam ao 2º lugar à Geral, logo atrás de Peterhansel/Cottret.
  • Tendo perdido horas na Etapa da véspera devido ao impacto com uma enorme pedra e com apenas uma hora e meia de sono, Cyril Despres e David Castera arrancaram pelas 4h40 da madrugada para esta Etapa num carro totalmente reconstruído, graças ao incrível trabalho dos mecânicos do Team PEUGEOT Total. Acusando o cansaço, a dupla cometeu alguns erros no final da Especial, mas cumpriu a sua missão, trazendo o carro até à meta, apoiando os seus colegas de equipa.

CLASSIFICAÇÃO DA ETAPA 5:

1. Stéphane Peterhansel (FRA) / Jean-Paul Cottret (FRA), PEUGEOT 3008DKR Maxi, 2h51m19s

2. Bernhard Ten Brinke (NED) / Michel Perin (FRA), Toyota 4WD, +4m52s

3. Giniel de Villiers (ZAF) / Dirk von Zitzewitz (ZAF), Toyota 4WD, +12m47s

4. Carlos Sainz (ESP) / Lucas Cruz (ESP), PEUGEOT 3008 DKR Maxi, +18m10s

5. Nasser Al Attiyah (QAT) / Matthieu Baumel (FRA), Toyota 4WD, +24m33s

7. Sheikh Khalid Al Qassimi (ARE) / Xavier Panseri (FRA), Peugeot 3008DKR, +25m39s

9. Cyril Despres (FRA) / David Castera (FRA), PEUGEOT 3008DKR Maxi, +37m36s

CLASSIFICAÇÃO APÓS A ETAPA 5:

1. Stéphane Peterhansel (FRA) / Jean-Paul Cottret (FRA), PEUGEOT 3008DKR Maxi, 13h27m26s

2. Carlos Sainz (ESP) / Lucas Cruz (ESP), PEUGEOT 3008 DKR Maxi, +31m16s

3. Bernhard Ten Brinke (NLD) / Michel Perin (FRA), Toyota 4WD, +1h15m16s

4. Nasser Al Attiyah (QAT) / Matthieu Baumel (FRA), Toyota 4WD, +1h23m21s

5. Giniel de Villiers (ZAF) / Dirk von Zitzewitz (ZAF), Toyota 4WD, +1h34m34s

6. Sheikh Khalid Al Qassimi (ARE) / Xavier Panseri (FRA), Peugeot 3008DKR, +1h46m48s

50. Cyril Despres (FRA) / David Castera (FRA), PEUGEOT 3008DKR Maxi, +37m36s

EM DIRECTO DO BIVOUAC…

Bruno Famin,

Diretor da PEUGEOT SPORT, Diretor do Team PEUGEOT Total

“Este Dakar 2018 está a ser muito complicado e todos os dias acontecem muitas coisas. Não fazemos qualquer ideia de como vai acabar. Embora tenhamos uma liderança folgada na Classificação Geral, após a Etapa 5, depois do que vimos até agora não podemos mesmo ter quaisquer certezas. Sabíamos que esta Etapa era a última em deserto arenoso mas a mais complicada das jornadas, e foi realmente bastante assustador para a maioria dos concorrentes. O Sébastien e o Daniel tiveram muito azar, porque foi precisamente por tentarem manter um bom ritmo que acabaram por cair naquele buraco, que não tinham visto. É ainda mais difícil de aceitar porque o carro ficou intacto, mas é óbvio que o Daniel não podia continuar em prova, no estado em que estava.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here