RALLY WRC: País de Gales difícil para a Citroen

    UM FIM-DE-SEMANA REALISTA PARA A CITROËN RACING

    Na penúltima ronda do Campeonato do Mundo de Ralis de 2017, o Citroën Total Abu Dhabi WRT enfrentou  os sempre difíceis troços do País de Gales. Além do sétimo lugar de Kris Meeke, a equipa ficou ainda mais confiante graças ao nível de performance evidenciado pelo C3 WRC ao longo de todo o fim-de-semana.

    O RALI EM RESUMO

    FIA WORLD RALLY CHAMPIONSHIP 2017

    Na noite de quinta-feria, uma enorme multidão acorreu ao hipódromo de Tir Prince para ver bem de perto o arranque do rali. Mas foi na manhã de sexta-feira que o público pode ver os carros do WRC em ação nas florestas galesas. Desta vez, a primeira etapa foi disputada com bom tempo, sempre sob céu limpo.

    Kris Meeke não perdeu tempo em deixar a sua marca, rubricando o segundo tempo mais rápido na ES22, logo atrás de Elfyn Evans, que revelava já estar numa forma imbatível. A meio do dia, o C3 WRC nº 9 estava em terceiro da geral. Depois de ter um bom começo de prova, Craig Breen viu-se a braços com um furo lento na ES4. O irlandês perdeu mais de um minuto e deixou de figurar entre os dez primeiros.

    Após a mudança de pneus na pequena localidade de Newtown, a primeira etapa era concluída com a segunda passagem pelo troços. Com o piso repleto de lama no seguimento das primeiras passagens, o nono lugar de Kris Meeke na ordem de partida revelou ser um handicap para a sessão da parte da tarde. No seu regresso à Assistência no final do dia, Meeke estava em sexto lugar, mas ainda a menos de 18 segundos do segundo lugar.

    Apesar de ter recuperando o seu andamento – como ficou comprovado pelo quarto tempo mais rápido na ES5 – Craig Breen não chegou ao final da etapa. Fez um pião e a frente do carro caiu num buraco repleto de água. Apesar de não ter sofrido danos no carro e de ter contado com a ajuda por parte dos pouco espetadores presentes no local, Breen não conseguiu voltar à estrada e abandonou a etapa. Obviamente, regressou à competição no dia seguinte, mas em Rali2.

    O segundo dia compreendia uma longa jornada de sete horas, previsivelmente ainda mais difícil. Para começo, as equipas cumpriram uma sequência de sete troços cronometrados, numa extensão de 110 km e sem paragem para assistência. Nesta altura, as condições meteorológicas já eram típicas do Rali de Gales/GB, com chuva e um vento gelado a soprar entre as densas camadas de nevoeiro.

    Tal como no dia anterior, Kris Meeke entrou na luta para tentar chegar aos lugares do pódio. Quinto após a ES8, Meeke manteve o seu andamento até à ES11. O piloto britânico falhou uma chicane e deixou o carro ir abaixo, tendo perdido cerca de 10 segundos.

    Apesar de adorar estes troços, Carig Breen não conseguiu conduzir o seu C3 WRC a 100% devido a um problema no travão de mão. Teve de esperar pela paragem para Assistência, marcada para o final da manhã, para voltar a contar com esta ferramenta vital na negociação de curvas apertadas e ganchos. A etapa de sábado terminava com dois troços disputados já de noite. Mais uma vez, o nevoeiro tornou as coisas mais complicadas para os pilotos. Mesmo assim, os C3 WRC conseguiram chegar à Assistência em segurança e sem problemas.

    Com apenas cinco curtas Especiais para cumprir, a terceira e última etapa parecia mais uma corrida ao sprint. Sempre atento a qualquer oportunidade que surgisse no seu caminho, e com cerca de vinte segundos a separá-lo do carro que seguia na frente, Kris Meeke optou por ser paciente no início da etapa. Gradualmente, foi recuperando o seu andamento, para depois subir de ritmo na Power Stage. Tendo conquistado o segundo tempo mais rápido nesta Especial, Meeke completou o fim-de-semana numa nota positiva, numa prova que é de grande agrado para o piloto do Citroën C3 WRC.

    Também Craig Breen chegou ao fim do rali numa toada positiva, tendo obtido, durante a manhã, três tempos entre os seis mais rápidos. Portanto, o seu regresso à prova foi bastante bom, subindo da 36ª para a 15ª posição.  Com Kahlid Al Qassimi ao volante, o terceiro carro inscrito pelo Citroën Total Abu Dhabi WRT neste rali chegou igualmente ao fim. No seu regresso a este tipo de piso, o piloto dos emiratos terminou em 22º lugar.